Seja um Ativista Seja um Associado Faça uma Doação Lojinha Adote Sobre a PEA

 

Página Inicial

Animais
Eventos
Meio Ambiente
PEA

 

Ajude a PEA

 

Ajude a combater os maus tratos e o abandono de animais. Seu apoio é muito importante.

Faça a Diferença

Clique Aqui

Você também pode ajudar

efetuando sua contribuição nos bancos abaixo

 

Banco Itaú

 Agência: 1574

Conta Corrente: 22004-0

 

Bradesco

  Agência: 0665-3

Conta Corrente: 127.526-7

 

CNPJ: 05.872.606/0001-30

 
Acesse, Copie, Divulgue

 

 

Siga a PEA

 

 

Notícias - MEIO AMBIENTE


 

Em PE, reserva florestal é desmatada para dar lugar a loteamento irregular

Uma reserva de Mata Atlântica, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife, está sendo devastada para dar lugar a um loteamento irregular. O local, conhecido como Campo de Aviação, é constantemente invadido e vários lotes foram cercados por estacas e arame farpado. Animais que habitavam a floresta, como saguis, preguiças e cobras, fugiram para casas vizinhas, assustando moradores.

O terreno de 166 hectares pertence a uma construtora. O local era antiga pista de pouso da família Lundgren, que abriga hoje um Centro de Formação da Polícia, um campo de futebol e um canteiro de obras. Auto-escolas também usam o local para ensinar alunos a dirigir. Parte da área foi desapropriada pela prefeitura para a construção do Instituto Federal de Educação.

Para dar espaço ao prédio, o campo de futebol será transferido para a parte de trás do terreno, onde há um trator trabalhando diariamente. Mas algumas pessoas aproveitaram a retirada de vegetação e começaram a desmatar outra área, uma reserva de Mata Atlântica, que deve ser preservada.

Crimes ambientais
Um morador de Maranguape gravou imagens de troncos de árvores sendo enterrados para não chamar atenção dos fiscais do meio ambiente. A área desmatada está se tranformando em loteamento irregular. A equipe de reportagem do NETV flagrou várias pessoas montando cercas de arame farpado e estacas de cimento para demarcar os lotes.

Um homem que não quis se identificar confirmou que estava colocando cercas para demarcar o seu lote. "Se por acaso der certo, como em muitos terrenos acontece, para quem não tem uma casa, eu vou [construir a casa]. Não sei o que vai acontecer, eu não estou negociando nada [com a prefeitura]", falou.

A lei determina que as árvores só podem se derrubadas com autorização da Agência Pernambucana de Meio Ambiente (CPRH). A equipe de reportagem percorreu todo o terreno e não encontrou nenhuma placa com a indicação de que o desmatamento nesta área foi permitido. Também foi flagrado outro crime ambiental: a retirada de areia, fundamental para a proteção do solo.

Leonardo Alves, representante da empresa dona da área, disse que as invasões começaram há um mês. "Acontece quase diariamente as tentativas de invasão. O pessoal invade, a gente retira de manhã e eles volta à tarde. Nós já acionamos a Justiça, com reintegração de posse, para que possamos preservar não só o nosso patrimônio como também o ambiental", disse.

Resgate de animais
Por causa do desmatamento, bichos estão fugindo para casas próximas à mata. Adriano Artoni é ambientalista voluntário e foi chamado pela população que não sabe o que fazer com os animais que invadem as residências. "Para a minha surpresa, esse bioma está sendo desmatado, e os animais estão fugindo para residências e comércios. Então, faço a captura e, dependendo da situação, solto em outro bioma ou levo para o Ibama", explicou. Ele informou que resgatou 18 cobras, além de saguis, gaviões e bichos preguiça na região.

Invasões são comuns
As invasões de área de proteção ambiental têm sido constantes em Paulista, segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Alcides Leitão. "Cerca de três ou quatro áreas que estão, hoje, sob ação seja de reintegração de posse ou de notificação dos proprietários em áreas de preservação permanente", informou.

O secretário afirmou que reuniu-se, recentemente, com a Promotoria de Meio Ambiente de Paulista, que se comprometeu a realizar audiências públicas para tratar o problema. No fim da manhã desta segunda-feira (17), policiais da Companhia de Meio Ambiente e do Batalhão de Paulista estiveram na área para garantir proteção ao trator que fez a retirada das cercas.

Fonte: G1

Data: 18/12/2012 16:50:28

Compartilhe a notícia:

>voltar<