Seja um Ativista Seja um Associado Faça uma Doação Lojinha Adote Sobre a PEA

 

Página Inicial

Animais
Eventos
Meio Ambiente
PEA

 

Ajude a PEA

 

Ajude a combater os maus tratos e o abandono de animais. Seu apoio é muito importante.

Faça a Diferença

Clique Aqui

Você também pode ajudar

efetuando sua contribuição nos bancos abaixo

 

Banco Itaú

 Agência: 1574

Conta Corrente: 22004-0

 

Bradesco

  Agência: 0665-3

Conta Corrente: 127.526-7

 

CNPJ: 05.872.606/0001-30

 
Acesse, Copie, Divulgue

 

 

Siga a PEA

 

 

Notícias - ANIMAIS


 

Quatro tartarugas devolvidas ao habitat natural em Portugal

Quatro tartarugas Caretta caretta, uma das sete espécies de tartarugas marinhas existentes e em risco de extinção, foram hoje devolvidas ao mar ao largo da costa algarvia, após terem sido reabilitadas no Zoomarine, no Algarve.

Os quatro exemplares, Fauno, Gulliver, Golias e Gizmo, foram devolvidos ao oceano, por volta das 11:00, a cerca de 20 milhas náuticas a Sul da costa algarvia, numa acção conjunta do Zoomarine e da Marinha Portuguesa.

Duas das tartarugas foram entregues ao Zoomarine por pescadores, uma foi detectada e apreendida num aquário de um restaurante e, a outra encaminhada para aquele parque aquático algarvio, por um grupo de mergulhadores.

A viagem que permitiu devolver ao mar os exemplares marinhos, iniciou-se cerca das 07:00, com a saída do Zoomarine rumo ao Cais da Marinha de Portimão, embarcando depois a bordo da Corveta João Coutinho, da Armada Portuguesa, para o local da "largada" após cerca de hora e meia de viagem.

O regresso das tartarugas ao seu habitat natural, foi acompanhado pelo presidente do Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB) e pelo Comandante da Zona Marítima do Sul, que devolveram ao mar dois dos quatro exemplares.

O presidente do ICNB, Tito Rosa, manifestou-se “sensiblizado” por ter devolvido ao mar um dos animais, classificando-o como “uma experiência única e que dá o sentido do real ao trabalho que é feito todos os dias”.

“É sempre emocionante colocar estes seres marinhos no seu habitat natural depois de terem sido recuperados com a ajuda do Zoomarine que tem feito um óptimo trabalho conosco”, observou Tito Rosa.

Para o director de ciências e educação do Zoomarine, o biólogo Élio Vicente, o sentimento é de “missão cumprida”.

“Hoje é um daqueles dias em que compensa muitas horas à frente de computadores, às vezes com noites não dormidas. Sentimos que a nossa missão foi cumprida”, referiu aquele responsável.

Ao contribuir também para o regresso das tartarugas ao seu habitat natural, o comandante da Zona Marítima do Sul, considerou a “experiência gratificante”.

O Capitão-de-mar-e-guerra Marques Ferreira destacou que “é sempre importante para a Marinha, contribuir para a preservação das espécies e dos valores ecológicos”.

“Este é um tipo de missão que dá gosto fazer”, realçou aquele responsável, que recordou ter tido a participação noutras missões de preservação de espécies, nomeadamente “de golfinhos no arquipélago dos Açores.

Fonte: Diário Digital / Lusa

Data: 17/7/2009 17:00:00

Compartilhe a notícia:

>voltar<