Seja um Ativista Seja um Associado Faça uma Doação Lojinha Adote Sobre a PEA

Página Inicial

Crueldades com Animais
Informações
Fotos e Vídeos
Slides
 

Ajude a PEA

 

Ajude a combater os maus tratos e o abandono de animais. Seu apoio é muito importante.

Faça a Diferença

Clique Aqui

Você também pode ajudar

efetuando sua contribuição nos bancos abaixo

 

Banco Itaú

 Agência: 1574

Conta Corrente: 22004-0

 

Bradesco

  Agência: 0665-3

Conta Corrente: 127.526-7

 

CNPJ: 05.872.606/0001-30

 
Acesse, Copie, Divulgue

 

 

Siga a PEA

 

 

Animais Usados para Tração


A Realidade

O Que Fazer

 

 

A Realidade

Os cavalos - e eventualmente muares - são usados para tracionarem carroças que recolhem o chamado lixo reaproveitável.

           

Esses animais são geralmente mal alimentados, mal ferrados, não recebem qualquer atendimento veterinário, sendo obrigados a trabalhar além de suas forças, mesmo doentes e famintos. 

 

São maltratados com carga excessiva, horários exaustivos de trabalho. Alguns praticamente não têm repouso e, quando fraquejam, são açoitados, inclusive com instrumentos e em locais deliberadamente escolhidos para causar grande dor. Não há fiscalização quanto a origem do animal e a qualidade de vida. Não há vacinação, exames de saúde, dentre outras coisas.

 

Quando imprestáveis para o trabalho, são abandonados em beiras de ruas e estradas, normalmente acabam sendo atropelados ou morrem miseravelmente de fome e sede. São entregues aos matadouros, quase na sua totalidade clandestinos, para um abate cruel de onde geralmente são repassados para o comércio como carne de boi.

 

No trânsito, são conduzidos por vias de grande movimento, em horários de pico, sujeitos a inúmeros acidentes, quase sempre fatais. Muitas vezes são conduzidos por menores em flagrante desobediência às leis de trânsito e à legislação de proteção à infância e adolescência.

 

O extermínio de eqüinos, em alguns lugares do Brasil, é um processo cruel, anti-ético e ilegal. Os animais são mortos de diversas maneiras, tais como:

Espancamento

Envenenamento

Tiros e Marretadas na Cabeça

Choque Elétrico (um pólo é colocado no focinho e o outro introduzido no ânus)

Produtos Curariformes (morte lenta e agonizante).

 

>voltar<

 

 

O Que Fazer

Você viu ou tomou conhecimento de um carroceiro que está maltratando um animal em sua cidade ou próximo à sua residência:

 

Conscientize o proprietário de como tratar o animal (não chicotear, não obrigá-los a carregar e/ou puxar cargas excessivas, não forçá-los a trabalhar debaixo de chuva e/ou sol forte, alimentá-lo sempre, dar descanso, ferrá-lo adequadamente, se doentes, velhos ou prenhes não utilizá-los);

 

Chame a polícia e faça um TC (cite o Art. 32 da da Lei Federal de Crimes Ambientais 9.605/98);

 

Imprima panfletos educacionais e distribua o máximo que puder;

 

Fotografe e/ou filme os animais antes, durante e depois do trabalho - provas e documentos são fundamentais para combater transgressões.

 

Exija a fiscalização do Detran, já que os carroceiros desrespeitam o Código Nacional de Trânsito se trafegarem em carroças improvisadas, sem placa, sem sinalização, sem carteira de carroceiro, com cavalos doentes, apresentando perigo para eles mesmos e para o trânsito.

 

No município de São Paulo: cite a Lei nº 11.478 de 1994 e Lei nº 11.887 de 21 de setembro de 1995, promovida por Celina Valentino, que proíbe o emprego de veículos de tração animal, de carga ou montados no Município de São Paulo. Ambas são baseadas no Decreto Federal nº 24.645.

 

Mande um e-mail para autoridades:

  Brasília: scs@scs.df.gov.br

  Porto Alegre: crc@gp.prefpoa.com.br, smam@smam.prefpoa.com.br

  São Paulo, mande uma mensagem através do formulário: Clique Aqui

 

Se na sua cidade também há descaso com os eqüinos, mande cartas e e-mails para a Prefeitura e para os jornais. Coloque sempre seu RG, telefone e endereço, para que as cartas possas ser publicadas.

 

>voltar<