Seja um Ativista Seja um Associado Faça uma Doação Lojinha Adote Sobre a PEA

Página Inicial

Crueldades com Animais
Informações
Fotos e Vídeos
 

Ajude a PEA

 

Ajude a combater os maus tratos e o abandono de animais. Seu apoio é muito importante.

Faça a Diferença

Clique Aqui

Você também pode ajudar

efetuando sua contribuição nos bancos abaixo

 

Banco Itaú

 Agência: 1574

Conta Corrente: 22004-0

 

Bradesco

  Agência: 0665-3

Conta Corrente: 127.526-7

 

CNPJ: 05.872.606/0001-30

 
Acesse, Copie, Divulgue

 

 

Siga a PEA

 

 

Rituais com Animais


Geral

O Significado do Animal

Animais Utilizados em Rituais

Notícias

 

 

Geral

Hoje, algumas denominações religiosas e seitas abrem suas portas para a busca do bem-estar físico e espiritual dos animais. Existe uma linha da religião africana que não aceita o sacrifício de animais. Há confusões, porém na umbanda pura e correta não há sacrifício de nenhum ser. Os animais são respeitados como espíritos de luz em evolução. E da mesma forma, no Candomblé puro, também não há sacrifícios de animais. Bem diferente de outros rituais, nos quais o sangue derramado de animais é visto como uma forma de agradar aos seres superiores ou como um meio de obter perdão, salvação e graça. Fonte: Revista da Folha

 

Durante a Semana Santa, repete-se no país inteiro as práticas mais cruéis contra os animais, algumas pela ignorância de tipos fanáticos e outras por divertimentos, denominado de "macumbódromos". Atos de crueldade contra animais, como os testemunhados pelas entidades zoófilas: animais com os olhos vazados, com membros mutilados, animais menores costurados vivos dentro de animais maiores, animais com o focinho costurado, a boca repleta de nomes de desafetos dos feiticeiros, animais de ventre aberto, de coração arrancado, galinhas com pescoço rasgado, etc.. Tudo isso, segundo Pais e Mães de Santo, as divindades homenageadas nesses "serviços" são sempre as que comprassem com as mal-feitorias.

 

Os animais em alguns rituais são considerados como oferendas aos orixás. Estas oferendas são uma forma ritualística pela qual os praticantes dessa religião oferecem amalás (comidas de santo) aos orixás, que podem ser cruas ou não, e “partes” de animais sacrificados. Estas partes são chamadas “forças” ou “axé” dos animais. São elas as patas, as asas, a cabeça, a cauda, o coração, o pulmão e a moela. O “restante” não tem valor como oferenda. Os praticantes da religião dizem que a imolação de animais é prática muito antiga e que toda religião que tem a Bíblia como base não pode ser discriminada por usar animais em seus rituais religiosos. Os animais comumente utilizados são, em via de regra: galos, cabritos, carneiros, pombos e galinhas da angola; machos e fêmeas. O pescoço geralmente é cortado com faca. Após "imolar" o animal, cujo sangue é derramado, em local determinado, são retirados os "axés", que são as vísceras principais (moela, rim, pulmão, coração..) que serão cozidas ou fritas, colocados num oberó (prato de barro) e oferecidas como complemento. A carne, será consumida normalmente pelas pessoas. Fonte: Manual do Fala Bicho

 

>voltar<

 

 

O Significado do Animal

Jogam-se os búzios, é feito o diagnóstico e os resultados são tratados com o ebô, uma espécie de sacrifício ritual. Os males que se encontram dentro do cliente são espantados e desviados em objetos e animais que são levados para lugares determinados ou enterrados, segundo a indicação da consulta. O ebô tem um caráter terapêutico e libertador.

 

Os banhos do abô, contendo diferentes ervas e sangue de vários animais, acompanham este estágio e representam cerimônias preparatórias de purificação.

 

O tempo de confinamento da abiã no roncô (local separado preparado pela iaô) pode ser de vários dias ou de meses. É a iniciação propriamente dita, onde o iniciado apreende a lidar com seus deuses. O momento de passagem é a depilação, geralmente da cabeça. O iniciado torna-se familiar com as comidas, os sacrifícios e os animais típicos de seu orixá.

 

O sacrifício, como oferenda, visa conservar o equilíbrio entre o plano visível e o invisível. Desta maneira continua garantindo o fluxo da vida. A ação de graça por algo bem sucedido e a retribuição por algo oferecido, fazem com que se estabeleça uma relação de troca entre os adeptos e as divindades.

 

Muitas vezes o sacrifício é o ato para placar as divindades ou para se proteger dos inimigos. São oferecidos animais domésticos cujos órgãos internos são imbuídos de forças especiais. O sangue, também, é oferecido como dádiva agradável à divindade.

 

O círculo que se estabelece entre o adepto, o sacrifício e o orixá, visa principalmente a transmissão e o reforço do axé. Oferecendo a vida ao orixá, é o próprio ser humano que permanece revigorado. A vida circula reforçando-se e garantindo, a quem oferece a realização do seu ciclo vital, até o alcance da harmonia eterna.

 

Fonte: sites sobre a religião

 

>voltar<

 

 

Animais Utilizados em Rituais

 

Ovinos: Oxalá e gira de Ibeji.

Caprinos: Exu - Específico para os Coroados e Batizados

Suínos: Específico de Exu pagão e Elementares

Bovinos: Oxalá, Xangô e Oxóssi (às vezes também para Exu Coroado).

Eqüinos: Ogum, especificamente

Répteis: São utilizados como segue abaixo.

- Rã: Oxalá

- Salamandra: Ibeji

- Lagartos: Xangô e Ogum

- Camaleões: (*) Senhoras

- Cotias: Oxóssi, Caboclos e Senhoras

- Sapos: Almas e Exus (todos)

Aves:

- Galinha-de-Terreiro: Linha de Pretos-Velhos (simples)

- Galinha-d'Angola: Preto-Velho (cruzado) e Senhoras

- Galinha Pedrês: Ibeji

- Galos: Ogum, Oxóssi e Oxalá (Xangô, as vezes)

- Pombos: Senhoras, Ibeji, mas específico para Oxalá

- Patos: Linha de Pretos-Velhos

- Morcego: Quimbanda, Catimbó, Vodu, (**) Exus Elementares

 

(*) Em certos terreiros são usados escorpiões

(**) Os morcegos são utilizados pelos Quimbandeiros e alguns Umbandistas de hoje, na Alquimia

 

Fonte: www.umbandaracional.com.br

 

>voltar<

 

 

Notícias

 

Homem que usou espada ninja para decepar braço de ex-namorada confessa o crime
Jornal O Globo Online - 16/04/08

Carlos Brito - Extra
 
RIO - Acusado de decepar o braço direito da ex-namorada com uma espada, Fábio da Conceição Calado, de 27 anos, confessou o crime na tarde desta quarta-feira na 60ª DP (Campos Elíseos). Ele disse, ainda, ser adepto de rituais satânicos. A arma usada por Fábio foi apreendida. Na delegacia, a polícia descobriu que no dia 6 de janeiro deste ano o acusado matou uma mulher e tentou matar um idoso num centro espírita. Na época, ele usou outra espada, que teria sido roubada de sua casa.
 
Daniele de Oliveira Campagnani, de 30 anos, foi transferida para o Hospital Souza Aguiar, no Rio. De acordo com informações dos médicos, ela passou por uma cirurgia e está internada no setor de recuperação pós-anestésica. O estado de saúde de Daniele é considerado grave.
 
O crime aconteceu nesta terça-feira, no bairro Capivari, em Duque de Caxias. Segundo testemunhas, Fábio usou uma espada para arrancar o braço direito de Daniele, na altura do antebraço. Ele teria ficado furioso quando ela se recusou a reatar o relacionamento que mantiveram por pouco mais de seis anos.
 
Daniele estava num sítio, onde trabalhava como cozinheira, acompanhada de uma amiga. Por volta das 11h30m, Fábio apareceu pedindo que ela, que havia terminado o relacionamento há três semanas, voltasse a morar com ele. A cozinheira não aceitou e ele foi embora, dizendo que ela se arrependeria da decisão.
 
Na casa de Fábio, policiais encontraram um arco artesanal, duas bainhas de espadas, dois nunchakus (bastões usados em lutas ninjas), quatro tabuletas com inscrições ninjas e uma máscara de demônio.
 
Testemunhas afirmaram que Fábio também possui shurikens (estrelas de arremesso usadas por ninjas para assassinatos à distância) e kemuridamas (bolas de fumaça usadas pelos guerreiros para distrair adversários).
 
Moradores de Capivari informaram que Fábio teria hábitos estranhos: além de exibir uma tatuagem de demônio no peito, ele vestia-se sempre de preto, costumava beber sangue de animais e dormiria num caixão.
 

 

Mãe-de-santo teria pedido sacrifício de 2 crianças
Redação Terra

Ney Rubens, Direto de Belo Horizonte – 15/12/07
 
A Polícia Civil de Ouro Preto, a 100 km de Belo Horizonte, prendeu, na manhã deste sábado, na cidade de Mariana, uma suposta mãe-de-santo que teria pedido o sacrifício de crianças para "ajudar" uma cliente dela que queria engravidar
 
Os agentes chegaram até ela depois da prisão, na última quinta-feira, da dona de casa Solange de Fátima Silva, 25 anos.
 
No momento em que os policiais invadiram a casa dela, Solange e o marido, Evandro Alfenas Bosco, manteriam em cárcere privado, sob a ameaça de um facão, duas irmãs de 10 e 11 anos de idade. Elas teriam sido abordadas pelo casal na praça Tiradentes, no centro de Ouro Preto.
 
Bosco se apresentou à polícia no 49° DP do bairro São Mateus, em São Paulo. Ele tem parentes na capital paulista.
 
O delegado Flávio Tadeu Destro, que investiga o caso, disse que Bosco teria se passado por um delegado de polícia para conseguir levar as meninas até a casa dele. Destro acredita que as garotas seriam sacrificadas no ritual de magia negra.
 
O cunhado de Solange foi quem denunciou o casal. Ele teria chegado em casa e visto ela o irmão ameçando as vítimas. Bosco conseguiu escapar e ainda está foragido.
 
Em depoimento, Solange teria dito que tem dificuldade para engravidar. Ela então teria procurado uma mãe-de-santo, que teria pedido o sacrifício das garotas como solução para a infertilidade.

 
A Polícia Civil confirmou a suposta ligação do casal com a morte de uma adolescente de 13 anos encontrada carbonizada no mês de outubro, também em Ouro Preto. O corpo de Elizângela do Carmo foi localizado em um barraco inacabado no dia 20 de outubro.
 
Solange confessou o crime à polícia e dito que ela e o marido cometeram o assassinato para que a mulher engravidasse. Ela disse que estrangulou a vítima e o marido ateou fogo.
 
O casal e a mãe-de-santo deverão ser indiciados pela polícia por cárcere privado e homicídio qualificado. Se condenados, eles podem pegar até 30 anos de prisão. Depois de ouvidas, as garotas foram entregues à mãe.
 
 

Menino de 11 Anos Mata Outro de 6 Após "Aprender" A Matar em Centro de Umbanda

Jornal Zero Hora - Edição nº 14163 - Porto Alegre, 01 de junho de 2004

 

Garoto de seis anos é morto por outro de 11 em Cruz Alta/RS

 

A vítima teve a cabeça colocada em um poço e depois foi agredida com pauladas no peito. Maicon Rodrigues dos Santos, seis anos, foi morto no final da tarde de domingo, no bairro Vila Ferroviária, em Cruz Alta, por um garoto de 11 anos. O autor confesso revelou que costumava matar gatos da mesma forma.

 

Segundo a Polícia Civil, o garoto, que estava acompanhado de mais duas crianças - uma menina de 10 anos e um menino de sete - atraiu Maicon até um terreno baldio, na Rua Pedro Sessêgo, prometendo lhe dar sobras de comida de uma festa em um centro de umbanda, da qual os três haviam participado, na madrugada anterior. O trio não conhecia a vítima.

 

No local, o garoto pegou Maicon no colo para atravessar um córrego e enfiou sua cabeça em um poço. Depois de tentar colocar o corpo de Maicon no buraco, o garoto o retirou e passou a agredi-lo com pauladas no peito. Os três fugiram do terreno e voltaram para o centro de umbanda, onde seria realizada uma atividade exclusiva para crianças, a partir das 18h.

 

Assustada, a menina revelou à mãe o que havia ocorrido. O fato foi levado ao conhecimento de outras pessoas, que iniciaram as buscas. Somente após a localização do corpo a polícia foi acionada.

 

De acordo com a delegada da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Cruz Alta, Lylian Carús, o garoto admitiu o crime e confessou que havia assistido a rituais onde foram mortos cabritos, pombas e galinhas e que estava acostumado a matar animais:

 

- Perguntei se ele não tinha pena dos bichinhos e ele disse que não, que costumava esgoelar gatos - disse Lylian.

 

A delegada revelou que deverá encaminhar o garoto à Justiça. Maicon foi enterrado ontem, às 17h, no Cemitério Municipal de Cruz Alta.

 

 

>voltar<